Mulher: uma homenagem singular

Compartilhar com:

A presença da Mulher, na história da civilização humana, foi decisiva e colaborativa, segundo os autores bíblicos e historiadores seculares. Naquelas fontes, há informações sobre muitas mulheres que decidiram e/ou agiram em prol do desenvolvimento e da proteção de seus povos. Constituíram — e ainda constituem — o grupo das mulheres combatentes e das mulheres protetoras. Por isso, neste 8 de março, consagrado Dia Internacional da Mulher, o Pontopm presta mais uma homenagem singular às laboriosas mulheres militares brasileiras.

Mulheres combatentes

Entre as mulheres combatentes, nesta postagem, destacam-se: Débora e Artemísia.

Débora: a juíza israelita

A participação histórica de Débora — “cujo nome significa ‘abelha’, única profetiza entre os Juízes de Israel — cristaliza uma homenagem singular às mulheres militares brasileiras. Suas ações, registradas nos capítulos 4 e 5 do Livro de Juízes, por volta do Século XII aC, foram decisivas. Obteve o reconhecimento de Baraque que lhe afirmara: “Se fores comigo, irei; porém, se não fores comigo, não irei.” Débora foi com Baraque e derrotaram o Rei de Canaã. Subjugaram o Exército liderado por Sísera. Este fugindo do campo de batalha, foi acolhido e morto por Jael. Em “O Cântico de Débora”, o texto bíblico destaca: Bendita entre todas as mulheres será Jael, mulher de Heber, o queneu; bendita será entre as mulheres nômades(Juízes 5:24).

A Almiranta Artemísia

Artemísia foi outra mulher que se destacou na batalha Naval de Salamina, travada entre os persas e gregos, no limiar do Século V aC. No canal do History, em “Construindo um Império”, o ator e diretor Peter Frederick Weller, fez referência à Almiranta Artemísia, quando descreveu que:

Há um episódio notável na derrota na Batalha de Salamina. Uma mulher chamada Artemísia, única capitã na esquadra persa, tapeou os gregos atingindo um de seus próprios navios e escapou no meio da confusão. Sua habilidade de sobrevivência impressionou Xerxes que teria dito “Meus homens tornaram-se mulheres e minhas mulheres se tornaram homens”

No ano de 2014, a indústria cinematográfica estadunidense reproduziu a sagacidade de Artemísia, no filme “300: A Ascensão de um Império. Assista a um dos trailers no no seguinte vídeo:

Mulheres protetoras

Nas fileiras das Instituições Militares Estaduais (IME), há mulheres valorosas, a exemplo de Débora e Artemísia. São, igualmente combatentes, e são evidenciadas na condição de mulheres protetoras. São as profissionais de polícia ostensiva e preservação da ordem pública. Presentes, nas 26 unidades da Federação e no Distrito Federal,de cada uma das IME, recebem, anualmente, de suas respectivas IME, homenagem singular, no Dia Internacional da Mulher. Devem ser homenageadas, inclusive, na forma de tratamento que lhes é devido.

Assim, na Flexão e Modernidade, uma das três partes do Livro O Estouro do Casulo, João Bosco de Castro — Oficial de polícia ostensiva e preservação da ordem pública; poeta e jornalista deste Pontopm — presta uma homenagem singular, às militares estaduais, citando as “consolidadoras  do Descobrimento do   Brasil,   Dona  Brites de Albuquerque [ Esposa de Duarte Coelho Pereira e homônima da mãe de Martim Afonso de Sousa. ] e Dona Ana Pimentel, as duas  primeiras    grandes  capitãs portuguesas nos domínios  de Santa Cruz! “. Ensina, também, que “Sobranceira e elegantemente, falemos e redijamos, com acerto e modernidade, sem nenhum atavio de petulância nem afetação:

o almirante a almiranta
o aspirante-a-oficiala aspiranta-a-oficial
o bacharel a bacharela
o brigadeiroa brigadeira
o caboa caba
o cadetea cadeta
o capelãoa capelã
o capitãoa capitã, a capitoa
o chefea chefa, a chefe
o subchefe a subchefa, a subchefe
o cirurgião a cirurgiã
o comandante a comandanta
o subcomandante a subcomandanta
o coronela coronela
o diretora diretora
o escrivãoa escrivã
o escrivãoa escrivã
o generala generala
o major a majora, a majora
o marechal a marechala
o militar a militara, a militar
o oficial a oficiala
o o presidentea presidenta
o recruta a recruta
o sargentoa sargenta
o terceiro-sargento a terceira-sargenta
o segundo-sargento a segunda-sargenta
o primeiro-sargento a primeira-sargenta
o servidora servidora
o soldadoa soldada
o tenentea tenenta, a tenente
o segundo-tenentea segunda-tenenta, a segunda-tenente
o primeiro-tenentea primeira-tenenta, a primeira-tenente
o subtenentea subtenenta, a subtenente
o tenente-coronela tenente-coronela , a tenenta-coronela
CASTRO, J.B. (1998).

Nas histórias das IME, há registros das ações bem-sucedidas alcançadas pelas mulheres, profissionais de polícia ostensiva e de preservação da ordem pública. Conquistaram seus espaços, nas atividades-fim e atividades de apoio, nos níveis operacionais, intermediário e estratégico. Três delas alcançaram, inclusive,o mais alto posto, tornando-se comandantas-gerais.

Neste ano de 2019, a Polícia Militar de Minas Gerais, mediante seu comandante-Geral — Coronel Giovanne Gomes da Silva —, homenageou as militares estaduais mineiras, com o seguinte vídeo:

1

3 comentários em “Mulher: uma homenagem singular

  1. João Bosco de Castro, Jornalista e Professor
    João Bosco de Castro, Jornalista e Professor Responder

    Gostei de seu ufânico texto de louvor à Mulher. Muito obrigado por citar meu Flexão e Modernidade para reconhecimento de mérito das zelosas Militaras e Policialas, à sombra das excelsas Capitãs Brites de Albuquerque e Ana Pimentel, as notáveis Civilizadoras de Pernambuco e São Vicente. Abraços marianianos!..

    • Isaac de Souza, Coronel PM
      Isaac de Souza, Coronel PM Autor do postResponder

      São justas, a homenagem e a referência textual ao tratamento respeito. São lições aprendidas na vida de caserna e compartilhadas publicamente. Abraços Marianianos!

  2. Carlos Braga
    Carlos Braga Responder

    A presença da mulher nos quadros das forças militares e de segurança, atende aos princípios descritos por Robert Peel – a Polícia é o povo e o povo é a Polícia – sem nos descuidar dos conceitos inclusivos de direitos humanos e dos grupos vulneráveis.

    • Isaac de Souza, Coronel PM
      Isaac de Souza, Coronel PM Autor do postResponder

      Concordo com você, caro Carlos. Nas considerações sobre “os princípios de Robert Peel” estão publicadas neste Pontopm. Vemos, no Princípio 7: “7. The police at all times should maintain a relationship with the public that gives reality to the historic tradition that the police are the public and the public are the police; the police are the only members of the public who are paid to give full-time attention to duties which are incumbent on every citizen in the intent of the community welfare.” Numa livre tradução lemos que: “A polícia em todos os momentos deve manter um relacionamento com o público que dê realidade à tradição histórica de que a polícia é o público e o público é a polícia; a polícia é o único membro do público que é pago para prestar atenção em tempo integral aos deveres que cabem a todos os cidadãos na intenção do bem-estar da comunidade.” (grifamos).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *