Extraindo o Conhecimento Intrínseco à Informação – Parte II

conhecimento-intrinseco-a-informacao
Compartilhar com:

Na Parte I deste mesmo Tema, procurou-se descrever o Conhecimento intrínseco à informação, a partir de um conjunto de informações visuais. Aprofundando na análise delas, foram construídas três situações hipotéticas de tratamento para esclarecer o perfeito emprego do Conhecimento na rotina do homem contemporâneo em sua demanda por informação.

O Conhecimento a ser abordado é uma descrição do emprego da Ciência Matemática no dia-a-dia das informações construídas, difundidas e assimiladas por vários segmentos sociais e que são recepcionados no cotidiano das pessoas, sem no entanto, corresponder ao exato sentido que se expressa na informação. A compreensão dos termos descritos com a coerente informação que se produz só surte efeito a partir da sua transformação num Conhecimento validado por uma Ciência.

Assim vamos analisar a seguinte informação hipotética: “O Governo do Estado de Minas Gerais, concederá reajuste aos seus servidores a partir de Abril de 2019, na mesma taxa de inflação acumulada nos 12 meses imediatamente anteriores. O reajuste de 4,5754% será dividido em 12 parcelas fixas.” Construir uma hipótese, suportada pelas Ciências Econômicas, requer mais do que simplesmente saber calcular, é preciso compreender a essência das informações e sistematizando, encontrar a resposta adequada para a hipótese de solução construída.

Buscamos com a análise dessa situação hipotética encontrar a estruturação pela qual o nosso cérebro, aplicando Conhecimento à informação, determinará a taxa mensal de reajuste.

Primeiramente vamos conhecer uma calculadora disponível ao alcance de todos: o seu smartphone. As figuras abaixo são as visualizações de dois modelos de calculadoras: a primeira é a tradicional, com as quatro operações fundamentais e a seguinte uma calculadora científica. Para transformar a calculadora de operações fundamentais para científica, o modo varia de sistema operacional (Android e iOS). Vamos trabalhar com o mais acessível, o sistema Android.

C:\Users\Melissa\Pictures\carlos\WhatsApp Image 2019-04-14 at 19.45.26.jpeg


C:\Users\Melissa\Pictures\carlos\WhatsApp Image 2019-04-14 at 19.45.26 (1).jpeg

Sistema operacional Android


C:\Users\Melissa\Pictures\carlos\IMG_1439.PNG
C:\Users\Melissa\Pictures\carlos\IMG_1438.PNG

Sistema operacional iOS


Para se determinar a taxa mensal de reajuste, temos as informações tempo – 12 meses – e percentual do reajuste – 4,5754%. Já sabemos que não é apenas a divisão pura e simples, trata-se, portanto, de juros compostos. Na primeira abordagem sobre o assunto, aprendemos a somar juros compostos e aqui, devemos encontrar a taxa a ser aplicada mensalmente para, ao final das 12 parcelas fixas, atingir o reajuste de 4,5754%.

Pela lógica já demonstrada, percentual do reajuste dividido por 100 e acrescenta o número 1. Assim teremos:

C:\Users\Melissa\Pictures\carlos\WhatsApp Image 2019-04-14 at 19.45.24.jpeg
C:\Users\Melissa\Pictures\carlos\WhatsApp Image 2019-04-14 at 19.45.23.jpeg

Mas como encontrar a taxa mensal? Isso é possível com uma função exponencial onde a base da função é 1,045754 e o expoente o  inverso do tempo, ou seja 1/12. Eis a função:

C:\Users\Melissa\Pictures\carlos\WhatsApp Image 2019-04-14 at 19.45.22.jpeg

Para confirmar a exatidão da taxa mensal, basta elevar a taxa encontrada aos meses de incidência. Eis a função:

Isso é o mesmo que multiplicar o número 1,003735138, por ele mesmo, 11 vezes. Visualmente:

Por que multiplicar por 11 e não por 12, que é o expoente? Porque no primeiro mês a taxa de reajuste é o próprio valor expresso, não sofrendo incidência de atualização, o que só ocorrerá a partir do segundo mês.

Encontrando o resultado 1,003735138, subtraímos o número 1, e chegamos ao número 0,003735138, em seguida, multiplicamos por 100 e a taxa mensal de reajuste é: 0,3735138%, incidindo por 12 meses e perfazendo ao final 4,5754% de reajuste.

C:\Users\Melissa\Pictures\carlos\WhatsApp Image 2019-04-14 at 19.45.21.jpeg
C:\Users\Melissa\Pictures\carlos\WhatsApp Image 2019-04-14 at 19.45.19.jpeg

Nesta Parte II, do Tema em construção, tratou-se de  analisar as informações da situação hipotética concernente ao reajuste que o Estado de Minas Gerais concede aos seus servidores. Optou-se por uma estruturação visual suportada pelos recursos tecnológicos mais acessíveis ao homem contemporâneo, neste caso a tecnologia que o conecta ao mundo e a infinidade de aplicativos disponíveis nele.

A lógica para a Extração do Conhecimento Intrínseco à Informação, que foi construída nesta Parte II, servirá de base para a perfeita interpretação das demais situações hipotéticas que serão abordadas na Parte III do Tema, sem no entanto, utilizar a estruturação visual aqui apresentada,  por entender que o Conhecimento já foi transmitido. A lógica não se altera, podendo o leitor complementar a estruturação do Conhecimento a partir da especulação própria e necessária à formação de um novo parâmetro que permita construir um novo Conhecimento.

0

2 comentários em “Extraindo o Conhecimento Intrínseco à Informação – Parte II

  1. Avatar
    Amigo Bragalo Responder

    Interessante o raciocínio lógico apresentado.

    Apesar de ainda continuar complexo, principalmente para quem não é da área de exatas, a visualização das informações com apoio da calculadora científica facilita o processo.

    Parabéns Dr Carlos

    • Carlos Alberto da Silva, Major PM
      Carlos Alberto da Silva, Major PM Autor do postResponder

      Obrigado meu amigo Valter Braga do Carmo, seus comentários no Pontopm são sempre oportunos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *