Robotização nas abordagens policiais de trânsito

abordagens-policiais-de-transito
Compartilhar com:

As abordagens policiais de trânsito, feitas por profissionais da segurança pública — aí incluídos os profissionais de polícias ostensiva, agentes de trânsito e outros protetores — têm sido consideradas perigosas. No Brasil, não há, ainda, dados disponíveis capazes de caracterizar a afirmativa anterior. Mas, na abertura do vídeo abaixo, há informações afirmando que: “Cada ano,16.915.140 motoristas são abordados no trânsito; 195.078 motoristas reagem à ação usando força física; 4.488 policiais são agredidos”, resultando na morte de “89 motoristas” e de “11 policiais”.

Nesses tempos de #Polícia4.0, quando se desenvolvem as IoT [“refere-se a grupos de dispositivos digitais, tais como sensores industriais, que coletam e transmitem dados pela Internet.”] a tendência é a otimizar ações e proteger as pessoas. Não é, como afirma o fabricante, uma solução esperada, a exemplo do que se vê no filme RoboCop — o protetor dos cidadãos e comunidades de Detroit, no Michigan-USA. Porém, haverá mais agilidade e os envolvidos nas abordagens policiais de trânsito não estarão expostos às possíveis agressões físicas. É claro que o pequeno robô poderá ser agredido e ser danificado, mas as consequências serão menos danosas, em relação a um agente de proteção pública.

Para Reuben Brewer, Senior Robotics Engineer, da SRI Internationl, a nova invenção pode ajudar a reduzir drasticamente aqueles números, com o aperfeiçoamento das primeiras versões do robô, pelo Departamento de Tecnologias Aplicadas da SRI International, para atuar nas abordagens policiais de trânsito, segundo demanda existente nos grandes centros e nas rodovias. Importante ressaltar que o robô policial não substituir o seres humanos. Ao contrário, os profissionais de polícia continuarão orientando a ordem de parada aos motoristas. O robô nada mais é do que uma telepresença (áudio e vídeo) do(a) policial diante de motoristas julgados suspeitos.

Há muitas as situações impeditivas, ao fiscalizador e fiscalizado, a deixarem o interior de seus respectivos veículos. Nesse caso, há possibilidades de as abordagens policiais de trânsito serem feitas apenas com a aproximação do do robô. Este tem a capacidade de verificar a vericidade dos dados da carteira do condutor e de imprimir notificações consequentes de infrações constatadas. Quando da aproximação do robô, é acionado um dispositivo capaz de interceptar o veículo abordado, no caso de uma tentativa de evasão.

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *