Forças de segurança mineiras e a Operação “O Regresso”

Informações divulgadas, no portal da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais (PMMG), apontam resultados bem-sucedidos alcançados pelos profissionais das Forças de segurança mineiras e a Operação “O Regresso”.

A Operação “O Regresso” consolido, certamente, uma série de ações específicas dos profissionais de polícia ostensiva e preservação da ordem pública e polícia judiciária com a indispensável participação dos membros do Ministério Público Estadual.

Prática de atuação integrada de proteção, iniciada nos últimos anos do século passado, tornou-se comum, neste Século XXI, contando com apoio dos membros das instituições de proteção dos cidadãos e das comunidades.

De lá pra cá, tais práticas têm ocorrido em várias unidades da federação brasileira, a exemplo do que se viu, nos últimos dias 28 e 29 de junho, na postagem publicada no portal da Polícia Militar do Estado de Santa Catarina (PMSC), cujas fotos são destacadas acima e o texto transcrito a seguir:

Nos dias 28 e 29 de junho foi desencadeada a “Operação Fronteira Integrada I” nos municípios da linha de Fronteira do Estado. A operação, Coordenada pela Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina (SSP) em sintonia com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP), envolveu as Polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, Departamento de Administração Prisional (DEAP), além de outros órgãos de fiscalização do Estado, como as Secretarias da Agricultura, Fazenda e Justiça e Cidadania.
Participaram também a Polícia Federal e a Receita Federal que prestaram apoio em razão da possibilidade de constatação de delitos transfronteiriços.

O objetivo da operação é o enfrentamento de delitos, em especial, os típicos de fronteira, como o contrabando, o descaminho e o tráfico de armas e drogas. As ações foram coordenadas a partir do Centro de Comando e Controle Integrado (CICC) instalado no município de Dionísio Cerqueira e que permaneceu em contato direto com o Centro de Comando e Controle Nacional em Brasília que coordenou as ações nos onze estados brasileiros que possuem fronteira com outros países.

A operação contou também, de maneira integrada, com o apoio das Polícias do Paraná e com a Polícia da Província de Misiones, na República Argentina, que realizou simultaneamente uma grande operação policial nos mesmos moldes da realizada no Brasil.
As ações variaram entre barreiras nas principais vias da região, vistoria em estabelecimentos comerciais, vistorias em Unidades Prisionais e cumprimento de Mandados de Busca e Apreensão e Prisão que foram executados em toda a Região.

A operação foi visitada pelo secretário de segurança pública, Alceu de oliveira Pinto Junior, acompanhado pelo comandante geral da Polícia Militar, coronel PM Carlos Alberto de Araujo Gomes Junior que estiveram no CICC e tiveram a oportunidade de verificar a realização dos trabalhos e avaliar os resultados obtidos.

Os resultados das ações das Forças de segurança mineiras e a Operação “O Regresso” encontram-se no seguinte vídeo:

De modo semelhante, transcreve-se, em seguida, a postagem publicada no portal da PMMG:

Uma megaoperação entre as Polícias Militar e Civil e o Ministério Público foi realizada na madrugada dessa terça-feira (03.07) em todas as regiões de Minas para cumprir diversos mandados de prisão que tiveram como alvos indivíduos contumazes em crimes violentos. Esta é mais uma fase da operação denominada “O Regresso” que vem sendo realizada de forma integrada pelas instituições há cerca de três meses e que já prendeu 170 pessoas no Estado. Centenas de policiais militares e civis, dezenas de viaturas e aeronaves das duas instituições foram utilizadas na operação.

“Em Minas é costume que as forças de segurança trabalhem de forma articulada. Há alguns meses, nos reunimos para a identificação dos alvos para esta operação. Foram selecionadas pessoas que tinham mandados de prisão expedidos pela Justiça e outros que representavam grande impacto na segurança pública, sobretudo por crimes violentos como homicídios, roubos, explosões a caixas eletrônicos, latrocínios e trafico de drogas”, destacou o Promotor de Justiça e Coordenador Criminal do MP, Henrique Nogueira Macedo.

De acordo com o Superintendente de Investigação e Polícia Judiciária da PCMG, Delegado-Geral Carlos Capristrano, os 170 alvos que foram presos na ação foram selecionados pelo serviço de inteligência da Polícia Civil, Ministério Público e da Polícia Militar. “Todas as prisões são importantes por serem alvos que realmente atingiam a criminalidade em Minas Gerais. A partir dessas prisões, iremos realizar uma investigação criminal minuciosa, através do cruzamento de informações dos serviços de inteligência, para verificarmos a ligação dos alvos com as organizações criminosas”, destacou.

Para o Porta-voz da PMMG, Major Flávio Santiago, a retirada desses criminosos de circulação refletirá no aumento expressivo da redução criminal em Minas. “São indivíduos que articulam o crime e, de alguma forma, empoderam outras pessoas a cometerem delitos. Além disso, é uma propaganda para que outros infratores entendam que em Minas Gerais não há espaço para o cometimento do crime”, finalizou.

A operação “O Regresso” continua em todo o Estado por tempo indeterminado e novos alvos já estão sendo monitorados pelas Instituições.

 forcas-de-seguranca-mineiras-e-a-operacao-o-regresso  forcas-de-seguranca-mineiras-e-a-operacao-o-regresso
 forcas-de-seguranca-mineiras-e-a-operacao-o-regresso  forcas-de-seguranca-mineiras-e-a-operacao-o-regresso

Com as informações da PMMG

0

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*