2 homens foram presos, pela posse ilegal de armas de fogo, e autuados por infrações ambientais, em Juquitiba-SP, pelos policiais militares paulistas

2 homens foram presos, pela posse ilegal de armas de fogo, e autuados por infrações ambientais, em Juquitiba-SP, pelos policiais militares paulistas

08/02/2018 Ações bem-sucedidas de polícia ostensiva 0

Ações bem-sucedidas dos profissionais paulistas, que atuam na polícia ostensiva ambiental e na preservação da ordem pública e do meio ambiente, da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP), resultaram na apreensão de armas de fogo, na posse ilegal de dois homens que foram presos e autuados por infrações ambientais, no município de Juquitiba-SP.

As ações dos policiais militares paulistas descritas, no post do FaceBook da PMESP, são transcritas em seguida:

Os Policiais Militares do 3º Batalhão de Polícia Ambiental estavam atendendo uma ocorrência de desmatamento na cidade de Juquitiba, quando receberam a informação de que no bairro Barnabé havia uma fábrica clandestina de produção de palmito. Após o atendimento da primeira ocorrência, eles se deslocaram até o local denunciado, onde foram recepcionados por duas pessoas. Os Policiais Militares visualizaram, no interior da residência, uma gaiola que tinha um pássaro azulinho, e procederam com a vistoria ao imóvel, acompanhados dos moradores.
Durante a vistoria foram localizados 240 vidros, cada um com 300 gramas de palmito, 15 vidros, cada um com 1.8 Kg de palmito, além de petrechos típicos para cozimento, preparo e embalo dos caules. Foram localizados ainda duas espingardas, 46 munições de calibres diversos (12, 16, 20, 36 e .40) e acessórios para recarga, seis apitos pio (utilizados para chamar pássaros), oito armadilhas, três aparelhos celulares e R$ 726,00 em espécie.
Foram lavrados Autos de Infração Ambiental, que somados totalizaram R$ 29.700,00.
A ocorrência foi encaminhada para a Delegacia Seccional de Embu, onde os infratores foram autuados por Crimes contra o Meio Ambiente e Posse Ilegal de Arma de Fogo e Munições, e permaneceram à disposição da Justiça.
O palmito apreendido será periciado e posteriormente destruído. O pássaro passará por reabilitação para que possa ser solto em seu hábitat novamente.

Com as informações da PMESP

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *