No novembro azul, policiais militares sul-mato-grossenses são orientados à prevenção do câncer da próstata

 

Uma postagem do portal da Polícia Militar do Estado do Mato Grosso do Sul (PMMS) há orientações específicas, aos profissionais de polícia ostensiva e preservação da ordem pública, sobre a prevenção do câncer de próstata.

Leia mais informações no post publicado, naquele portal, e trasncrito em seguida:

Campo Grande (MS) – Saímos do outubro rosa e entramos no novembro azul. A luta pelo combate ao câncer continua e a Polícia Militar de Mato Grosso do Sul apoia esta causa. Nesse mês de novembro a campanha é direcionada em prol da saúde do homem, tendo em vista que o dia 17 é o Dia Mundial do Combate ao Câncer de Próstata com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce da doença, sendo o segundo tipo de câncer que mais mata homens no Brasil (o primeiro é o câncer de pele). O câncer de próstata costuma ter evolução lenta e tem 90% de chance de cura se for detectado na fase inicial. A prevenção é de suma importância.

Câncer de Próstata

Detecção Precoce

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a detecção precoce de um câncer compreende duas diferentes estratégias: uma destinada ao diagnóstico em pessoas que apresentam sinais iniciais da doença (diagnóstico precoce) e outra voltada para pessoas sem nenhum sintoma e aparentemente saudáveis (rastreamento). A decisão do uso do rastreamento do câncer de próstata por meio da realização de exames de rotina (geralmente toque retal e dosagem de PSA) em homens sem sinais e sintomas sugestivos de câncer de próstata, como estratégia de saúde pública, deve se basear em evidências científicas de qualidade sobre possíveis benefícios e danos associados a essa intervenção. Por existirem evidências científicas de boa qualidade de que o rastreamento do câncer de próstata produz mais dano do que benefício, o Instituto Nacional de Câncer mantém a recomendação de que não se organizem programas de rastreamento para o câncer da próstata e que homens que demandam espontaneamente a realização de exames de rastreamento sejam informados por seus médicos sobre os riscos e provável ausência de benefícios associados a esta prática.

Prevenção

Já está comprovado que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer, como também de outras doenças crônicas não-transmissíveis. Nesse sentido, outros hábitos saudáveis também são recomendados, como fazer, no mínimo, 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar.

A idade é um fator de risco importante para o câncer de próstata, uma vez que tanto a incidência como a mortalidade aumentam significativamente após os 50 anos.

Pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos pode aumentar o risco de se ter a doença de 3 a 10 vezes comparado à população em geral, podendo refletir tanto fatores genéticos (hereditários) quanto hábitos alimentares ou estilo de vida de risco de algumas famílias.

Sintomas

Em sua fase inicial, o câncer da próstata tem evolução silenciosa. Muitos pacientes não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata (dificuldade de urinar, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou a noite). Na fase avançada, pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Tratamento

Para doença localizada, cirurgia, radioterapia e até mesmo observação vigilante (em algumas situações especiais) podem ser oferecidos. Para doença localmente avançada, radioterapia ou cirurgia em combinação com tratamento hormonal têm sido utilizados. Para doença metastática (quando o tumor original já se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento de eleição é a terapia hormonal.

A escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada e definida após discutir os riscos e benefícios do tratamento com o seu médico.

Fonte: (INCA) http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/prostata/definicao

O comandante-geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, coronel QOPM Waldir Ribeiro Acosta, orienta a todos os policiais militares, que aproveitem a ocasião oportuna para prevenirem-se contra o câncer de próstata e para alertar aos familiares e a todos quanto puder referente a está campanha de grande importância.

 

Fonte: PMMS.

0

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*