1860 pessoas, entre foragidos ou com mandados de prisão, foram presas, no período de junho a setembro, pelos policiais militares espírito-santenses

 

Mediante um post publicado no seu portal, a Polícia Militar do Estado do Espírito Santo (PMES) informa sobre a participação dos seus servidores na ação integrada de proteção desenvolvida durante “o dia 1º de junho e 30 de setembro.”

Há informações de que após “a publicação da Diretriz de Serviço nº 008/2017, que estabelece procedimentos para o cumprimento de mandados de prisão e recaptura de foragidos ou evadidos do sistema prisional,” os policiais militares espírito-santenses prenderam 1860 pessoas que deveriam estar privados de liberdade, nos estabelecimentos penais daquele Estado.

Leia mais informações no post publicado, no portal da PMES, e transcrito em seguida:

O documento regulamenta uma nova metodologia para a obtenção, o tratamento e a difusão de informações sobre pessoas com mandado de prisão, foragidas ou evadidas do sistema prisional por parte do Sistema de Inteligência da Polícia Militar (Sipom).

A iniciativa, que é inédita, tem trabalhado o processamento de uma relação encaminhada pela Justiça estadual contendo mais de 18 mil nomes de pessoas que possuem alguma ordem de prisão.

Por meio da Diretoria de Inteligência (Dint), a PMES tem captado dados junto à Sejus, Sesp e órgãos de inteligência de diversas unidades federativas sobre criminosos com mandados de prisão emitidos pela Justiça capixaba.

A partir da coleta e processamento desses dados, a Dint realiza a difusão para as agências de inteligência (P2) dos batalhões, que conseguem mais facilmente identificar os possíveis locais onde se escondem os criminosos. Essa relação é distribuída aos policiais que patrulham as ruas, bairros e regiões sob a responsabilidade das diversas Unidades da PMES.

“A identificação de criminosos, contendo fotografia, apelidos e quaisquer outros elementos que possam facilitar a prisão ou a recaptura tem favorecido o trabalho de patrulhamento das ruas, pois agora os policiais têm condições de reconhecer e cumprir as ordens de prisão. Essa metodologia tem sido considerada uma grande ferramenta de gestão”, destacou o diretor de Inteligência da PMES, coronel Douglas Caus.

No entanto, apesar de parecer concentrada a aquisição de informações, as P2 também procedem a aquisição em bancos de dados locais, agregando valor ao conhecimento sobre foragidos ou evadidos.
De acordo com o comandante-geral, coronel Nylton Rodrigues Ribeiro Filho, o trabalho qualifica o policiamento ostensivo e diminui a sensação de impunidade daqueles que possuíam alguma pendência judicial e continuavam circulando livremente na comunidade. “A qualificação dos recursos empregados é fundamental para que a PMES possa entregar à sociedade capixaba resultados cada vez melhores e com menos custos, sejam eles humanos ou materiais”, pontuou.

Outro fator considerado importante pelo coronel Nylton é o caráter perturbador que as diligências provocam, mesmo quando os criminosos não são encontrados. “O indivíduo identifica que o Estado, através da sua polícia, está a sua captura, fazendo diminuir o sentimento de impunidade, que é o grande propulsor da criminalidade”, ressaltou.

A metodologia, que já é considerada um sucesso, continua sofrendo inúmeras melhorias e os resultados são frequentemente reavaliados. Quando uma unidade se destaca na prisão e recaptura de foragidos, seus policiais são elogiados e recompensados, fazendo com que haja uma competição sadia entre os integrantes da PMES em que quem acaba ganhando é a comunidade.

Prisão de criminosos mais procurados

A nova metodologia para o cumprimento de mandados de prisão e recaptura de foragidos auxiliou a
Polícia Militar na prisão de alguns dos criminosos mais procurados do Espírito Santo.

Com a ferramenta de inteligência, a PMES prendeu o criminoso mais procurado do estado. Giovani Otacílio, conhecido como Paraíba, foi preso no dia 09 de outubro, durante uma operação realizada no bairro Gurigica, em Vitória. Ele possuía 13 mandados de prisão; nove deles por homicídio.

No dia 22 de setembro, durante uma operação para o cumprimento de 16 mandados de busca e apreensão, a PMES prendeu o traficante e homicida Bleiby Consuelo de Souza, no bairro Central Carapina, na Serra. O bandido figurava na lista dos dez mais procurados do Espírito Santo.

Também no município de Serra, no dia 26 de julho, a Polícia Militar deteve o traficante Juninho Rugal, no bairro Nova Carapina I, após levantarem informações de que um dos criminosos mais procurados do município estaria liderando o tráfico na região.

Fonte: PMES.

0

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*