Policiais militares brasilienses concorreram para a redução da violência e criminalidade no Distrito Federal

Policiais militares brasilienses concorreram para a redução da violência e criminalidade no Distrito Federal

06/09/2017 Polícia ostensiva no contexto da Segurança Pública 0

 

A performance operacional dos profissionais brasilienses de polícia ostensiva e preservação da ordem pública, da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), foi destacada com a exposição da análise dos resultados registrados no último mês de agosto e comparados aos do mesmo período do ano de 2016.

Os resultados são consequências das ações policiais militares mediante as operações “RIC (Redução dos índices de Criminalidade), Argus, Anjo da Guarda, Brasília, Saturação, Epítase, Zona Segura, dentre outras,” que “resultaram em reduções significativas da criminalidade, uma vez que focam no combate a roubos, tráfico de drogas, furtos, porte ilegal de armas, e também no combate aos crimes contra o patrimônio.”

Foram evidenciadas as reduções nos registros de homicídios (37,3%); roubos e furtos em veículos (21,0%); roubo a residência (12,0%); roubo a coletivos (9%,0) e roubo a transeunte (5,0%). Além disso, a performance operacional aumentou em 60%, no “atendimento de ocorrências” policiais militares.

Leia mais informações, e conheça outros detalhes, na notícia publicada, no portal da PMDF, e transcrita em seguida:

A Polícia Militar do Distrito Federal comemora redução nos índices criminais do último mês de agosto. Segundo o relatório da Secretaria de Segurança Pública e Paz Social do Distrito Federal, os indicadores se referem ao comparativo do mês de agosto de 2016 com o mesmo período de 2017. Isso se deve especialmente ao empenho e à dedicação dos policiais militares que, mesmo com a significativa diminuição do efetivo, trabalham incansavelmente, buscando sempre melhorar a qualidade de vida, a segurança e o bem-estar da população do DF. Operações como a RIC (Redução dos índices de Criminalidade), Argus, Anjo da Guarda, Brasília, Saturação, Epítase, Zona Segura, dentre outras, resultaram em reduções significativas da criminalidade, uma vez que focam no combate a roubos, tráfico de drogas, furtos, porte ilegal de armas, e também no combate aos crimes contra o patrimônio. Tudo isso é resultado do contínuo trabalho técnico de análise da mancha criminal no DF e de serviços e atividades operacionais realizados pela Polícia Militar, que se baseiam em estratégias de inteligência policial minuciosamente planejadas.
Os crimes considerados violentos, letais e intencionais tiveram queda. É o caso dos homicídios que reduziram de 50 casos ocorridos no ano de 2016 para 32 este ano, uma redução de 37,3%, ou seja, o melhor índice em 17 anos. Os casos de latrocínio diminuíram pela metade, passando de 6 casos para apenas 3. O número de roubos de veículos e furtos em veículos também teve significativa queda de 21% devido às abordagens e blitzes constantes. Com isso a Polícia Militar efetivou prisões de quadrilhas que atuavam nesses diversos tipos criminais. Assegurar a paz e proteger os lares também têm sido objetivo das ações da PMDF, que por meio do policiamento ostensivo em todas as suas modalidades, seja a pé, motorizado, aéreo ou montado, fez com que as taxas de roubo a residência caíssem 12%, de 83 casos para 73. O mesmo ocorreu com os casos de roubo a coletivos, que tiveram queda em torno de 9%, assim como os casos de roubo a transeunte que diminuíram em 5%. Nos crimes contra o patrimônio todos os índices também diminuíram.
Constata-se ainda que a alta produtividade nos serviços de atendimento de ocorrências subiu significativamente, resultando num aumento considerável de 60% de atendimentos. Ações sociais realizadas nas próprias Unidades da corporação, a longo prazo, demonstram que o trabalho também está centrado na prevenção da criminalidade, pois crianças e jovens têm a oportunidade de praticar esportes, artes e diversas atividades no período em que não estão na escola.
Ainda de acordo com a Secretaria de Segurança Pública, em 74% dos casos de estupro os crimes são praticados por pessoa que tem vínculo direto com a vítima. Já no estupro de vulneráveis esse percentual se altera: são 78% dos casos praticados na própria residência da vítima, em 98% dos casos o crime é praticado por pessoa que tem vínculo com a vítima, 96% de todos os crimes de estupro são cometidos em ambiente fechado e apenas 4% deles é praticado na rua.
Pensando em todas essas questões e nas diversas agressões cometidas dentro dos lares, a Polícia Militar, por meio do Centro de Políticas Públicas da corporação, criou o Policiamento de Prevenção Orientado à Violência Doméstica (PROVID), que se mostra bastante eficiente, uma vez que nas 250 famílias acompanhadas por esse policiamento, a taxa de reincidência é baixa, sendo que nunca houve caso de femínicidio nos lares acompanhados por policiais militares no DF.

 

Fonte:PMDF.

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *