Novas estratégias de proteção pública são implementadas, em Belo Horizonte, pela Polícia Militar de Minas Gerais

Novas estratégias de proteção pública são implementadas, em Belo Horizonte, pela Polícia Militar de Minas Gerais

16/08/2017 Polícia ostensiva no contexto da Segurança Pública 0

 

Com o vídeo e a notícia publicados, o portal G1-Minas Gerais e outras mídias mineiras informaram que Comando-geral da PM anuncia troca de companhias por bases móveis em BH.

Na realidade, os duzentos e seis policiais militares que trabalhavam no setor administrativo das companhias de polícia militar, do município de Belo Horizonte, foram reunidos para conhecerem a decisão do a decisão do “Comando-Geral”. Esta, é, normalmente, uma escolha estratégica entre as alternativas propostas pelo seu staff, após acurados estudos. E a estratégia ora escolhida foi aquela que considerou diversos fatores, alguns deles destacados assim pelo Coronel Helbert Figueiró de Lourdes, comandante-geral: “O objetivo, obviamente, é potencializar a presença das pessoas, nas ruas, trabalhando em prol do cidadão. Isso é consequência de algumas medidas internas de rearticulação, racionalização de processos…”

Modelo criado e experimentado Brasil afora, com o nome de bases comunitárias de segurança as bases móveis não vão e nem podem “substituir 11 companhias da Polícia Militar em várias regiões da capital mineira”. A companhia de polícia militar é uma fração constituída por policiais militares. A base móvel — mostrada na mídia — substituirá a sede, ou aquartelamento da companhia, que deixará de existir, num local físico, mobilizando policiais militares. Em contra partida, ocorrerá a ocupação de mais 86 espaços públicos, diversificados, ou não, porém, mais próximos e mais visíveis das pessoas a ser protegidas ou desestimuladas à atividade criminosa.

Assim, as ações de presença da polícia ostensiva serão dinâmicas e geradoras da segurança objetiva e subjetiva desejada por todos, conforme divulgado na notícia destacada informando que “cada uma [base móvel] vai contar com dois policiais rodando em motos e outros dois fixos em uma van onde as ocorrências poderão ser registradas.” Haverá, também, melhor atendimento à demanda dos cidadãos, segundo as explicações do Coronel Winston Coelho, comandante do policiamento da capital: “A gente vai ter toda uma estrutura em torno dela [base móvel] para, num chamamento, chegar mais rapidamente e acolher aquela intervenção mais pesada”.

Os “locais exatos onde as 86 bases ficarão” não foram informados e isso é, igualmente, escolha estratégica, que favorecerá o sucesso do novo empreendimento policial militar. Entretanto, foi divulgado que, a partir do dia 28 de agosto, “nos primeiros seis meses as bases vão funcionar das 15h até as 23h, quando a maioria das ocorrências é registrada. Depois o plano é que o horário seja estendido, das 6h até as 2h.” Além disso, assegurando-se que haverá aumento do esforço operacional, ao contrário do que tem sido publicado, o coronel Winton reafirma: ” a companhia vai continuar existindo, os oficiais vão continuar comandando, os policiais vão continuar pertecendo essa companhia, apenas a sua administração ela vai ser recolhida. Então, cada uma das companhias que a gente decidiu recolhimento, saibam, eu vou ter mais 20 policiais fazendo patrulhamento nas ruas”.

A decisão estratégica e técnica ora divulgada trará, certamente, mudanças, conforme explicações anteriores. Porém, devem ser entendidas e analisadas como buscas de melhorias contínuas. Isso é comum nas organizações bem-sucedidas. O que não é cabível é valer-se, antecipadamente, de um discurso político ou ideológico desvalido de argumentos convinventes.

Além disso, há outras informações, na notícia publicada, no portal da Polícia Militar do Estado de Minas (PMMG), e transcrita a seguir:

Comandante-geral da Polícia Militar anuncia reforço do policiamento na capitalO comandante-geral da Polícia Militar de Minas Gerais, coronel Helbert Figueiró de Lourdes, se reuniu nesta quarta-feira (16), com os 206 policiais militares que reforçarão o policiamento de Belo Horizonte nas próximas semanas. Os militares, que atuavam nas áreas administrativas da corporação, serão realocados em atividades operacionais compondo, inclusive, as novas Bases de Segurança que serão instaladas da capital, com lançamento previsto para o final de agosto.

Comandante-geral da Polícia Militar anuncia reforço do policiamento na capitalO comandante-geral explicou que a disponibilização de efetivo da área administrativa para operacional, perfazendo um total de 206 militares, não é uma medida nova em seu comando, uma vez que assim que assumiu a PMMG racionalizou o próprio gabinete de 86 para 34 militares. E agora, a partir de uma avaliação feita em todas as unidades administrativas da capital, conseguiu-se mais 206 militares.

Comandante-geral da Polícia Militar anuncia reforço do policiamento na capital“O objetivo é potencializar a presença da PM nas ruas, trabalhando em prol do cidadão. Toda essa medida acontece aqui em Belo Horizonte, mas vai acontecer em todo o Estado. Nós estamos finalizando um diagnóstico em todas as Regiões da Polícia Militar (RPM’s) em Minas Gerais, e, ao final, a mesma medida será aplicada no restante do Estado. Faltam apenas duas regiões para fechar esse relatório”, afirma coronel Helbert.

Ainda segundo o comandante-geral, os militares estão sendo disponibilizados ao Comando de Policiamento da Capital (CPC) e toda a organização desse reforço visa a redução do percentual de crimes violentos em Belo Horizonte. “Todos os militares que estão sendo deslocados do serviço administrativo passarão por um curso, mas todos já têm treinamento por serem lotados quinzenalmente em atividades operacionais”, enfatizou

Fonte: PMMG

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *