No Espírito Santo, Polícia Militar realiza a operação “Voo livre II”

No Espírito Santo, Polícia Militar realiza a operação “Voo livre II”

24/06/2017 Polícia Ostensiva Ambiental 0

Com a operação “Voo livre II” os profissionais de polícia ostensiva e preservação da ordem pública, da Polícia Militar do Estado do Espírito Santo (PMES) asseguraram a liberdade e a proteção de vários pássaros aprisionados ilegalmente.

Nas ações de polícia ostensiva ambiental, os policiais militares espirito-santenses encontraram “pássaros de várias espécies como canários, coleiros, sabiás, sanhaços e melros, chamou a atenção a manutenção em cativeiro de 51 catataus, espécie ameaçada de extinção, numa só residência.”

Leia e saiba mais detalhes, na notícia publicada, no portal da PMES, que é transcrita a seguir:

Nesta quinta-feira (22), o Batalhão de Polícia Militar Ambiental realizou a operação “Voo livre II” em diversos municípios da Região Sul do estado, com o objetivo de prevenir e coibir os crimes contra a fauna, especialmente a manutenção irregular de pássaros em cativeiro. Ao todo, policiais da 4ª Companhia do BPMA atenderam 13 ocorrências, que resultaram no recolhimento de 101 pássaros da fauna silvestre brasileira, nos municípios de Alegre, Muniz Freire e Marataízes.

Esta ação complementa a operação realizada no mês de maio, em que 107 aves foram recolhidas pela Polícia Ambiental.

Dentre pássaros de várias espécies como canários, coleiros, sabiás, sanhaços e melros, chamou a atenção a manutenção em cativeiro de 51 catataus, espécie ameaçada de extinção, numa só residência. De acordo com os policiais que atenderam à denúncia, pela quantidade de pássaros e pelo estado bravio deles, a suspeita é de que um proprietário rural estaria aprisionando os animais para posteriormente vendê-los em uma feira em outro estado.

Os pássaros recolhidos serão avaliados e os que não estiverem em condições de soltura deverão passar por tratamento a fim de reabilitá-los. Já os que estiverem em boas condições de saúde e em estado selvagem serão soltos em uma Unidade de Conservação localizada no Sul do estado.

Fonte: PMES.

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *