No Espírito Santo, continua a “Operação Jesabel”!

No Espírito Santo, continua a “Operação Jesabel”!

07/05/2017 Atuação integrada de proteção 0

Conforme divulgado anteriormente neste Pontopm, continuia a “Operação Jezabel”, no Estado do Espírito Santo.

A destacada operação constitui um esforço de ação integrada de proteção, à sociedade capixaba, de iniciativa do Ministério Público e Polícia Militar Espírito Santo, com o objetivo de assegurar a ordem e tranquilidade públicas naquele Estado.

Leia, em seguida, o conteúdo da Nota 2, publicada no portal do MPES, há informações sobre novas diligências:

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da Promotoria de Justiça de Nova Venécia, deflagrou na quinta-feira (04/05) a chamada Operação Jezabel, para investigar supostos crimes de falsidade documental que teriam sido praticados na Secretaria Municipal de Educação. Foram cumpridos pela Assessoria Militar junto ao Ministério Público, com o apoio da Polícia Militar, cinco mandados de busca e apreensão autorizados pela Justiça, que também concedeu, a pedido do Ministério Público, a quebra de sigilo de dados bancário, fiscais, telemáticos e do conjunto de interfaces de softwares ou APIs.

Os mandados foram cumpridos na Secretaria Municipal de Educação; e na Escola Municipal Lourdes Scardini; e em desfavor da secretária municipal de Educação, Risonete Maria Oliveira Macedo; da servidora pública municipal Maria Auzilia Contarato Gomes; e de Reginaldo Dionizio da Paz.

O caso teve início em dezembro de 2016, quando a Secretaria Municipal de Educação emitiu resolução reclassificando o funcionamento da educação infantil na escola municipal Lourdes Scardini, no bairro Filomena. Essa reclassificação prejudicou muitos pais e alunos, que sequer foram consultados em relação à mudança. No entanto, posteriormente, comprovou-se que houve fraude na documentação que permitiu a reclassificação.

Participam da operação, além da Promotoria de Justiça de Nova Venécia, 12 policiais militares. O material apreendido foi encaminhado para a Promotoria de Justiça e será analisado pelo Laboratório de Tecnologia Contra a Lavagem de Dinheiro (LAB) do MPES.

O nome da operação, JEZABEL, foi extraído em referência à história bíblica do Antigo Testamento, que traz uma rainha fenícia casada com um rei de Israel que passou a influenciar diretamente o destino do povo ditando ordens de acordo com o que acreditava ser verdade.

Fonte: MPES e jequibaonline.

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *