Render da Guarda ao Quartel do Carmo – Lisboa

Posted by GNR – Guarda Nacional Republicana on Wednesday, May 2, 2018

0

107º Aniversário da Guarda Nacional Republicana

Para as comemorações do 107º Aniversário da Guarda Nacional Republicana (GNR), há diversas programações relevantes.

Uma das comemorações do 107º Aniversário da Guarda Nacional Republicana foi a apresentação do “Render da Guarda ao Quartel do Carmo – Lisboa”, mostrado no vídeo destacado acima e publicado no FaceBook daquela Instituição Militar de proteção pública.

O significado do “Render da Guarda ao Quartel do Carmo – Lisboa” relembra a importância do aquartelamento, que hoje é sede do Museu da GNR e está aberto à visitação pública. Uma postagem do FaceBook da GNR destaca que:

Durante a primeira semana da “Abertura do Quartel do Carmo ao público” recebemos a visita de 3365 visitantes no Quartel do Carmo 👍

Se anda não visitou, não se preocupe, poderá fazê-lo até 31 de maio.
Entre as 10:00 e as 17:00 horas poderá ser visitado o Museu da Guarda, assim como, espaços emblemáticos do quartel, como a sala General Afonso Botelho (salão nobre), a varanda sobre o Rossio, e ainda, uma exposição fotográfica intitulada de “40 anos, 40 fotos de Raquel Von Kami-Naru”, alusiva a atividades desenvolvidas pela GNR.

Um pouco da história “do Quartel do Carmo”, e que antecedeu o 107º Aniversário da Guarda Nacional Republicana, encontra-se, no portal da GNR, assim descrita:

CARMO – 600 ANOS DE HISTÓRIA

De Convento Carmelita a Quartel das Guardas Militares da Polícia
O Convento do Carmo de Lisboa é um dos edifícios mais emblemáticos e históricos de Portugal. Foi fundado pelo heroico Condestável D. Nuno Álvares Pereira aquando da consolidação da independência nacional que se seguiu à crise de 1383-85. A primeira pedra foi colocada a 1389 e oito anos depois foi ocupado pelos frades Carmelitas de Moura, tendo sido doado à Ordem do Carmo, braço espiritual dos Hospitalários, em 1423. Este convento impressionava pela imponência da arquitetura gótica e também enquanto centro de poder, estudo e espiritualidade. O terramoto de 1531 provocou a primeira derrocada, seguiu-se a reconstrução e, a partir de 1580, entrou novamente em declínio após a perda da independência de Portugal, tendo-se profetizado que se do Carmo «haja quietude, de todos os outros não há que temer». Nesse ano de 1580 partiram deste edifício os primeiros Carmelitas para o Brasil onde fundaram colónias em Olinda, Baía, Santos, Rio de Janeiro, S. Paulo e no Maranhão. Em 1640 deu-se a restauração da independência nacional e a dinastia instituída na descendência do Condestável fortaleceu este Convento até à irreversível decadência provocada pelo terramoto de Lisboa de 1755 quando «caiu o Carmo e a Trindade» (frase imortalizada pelo povo). Seguiu-se a extinção das Ordens Religiosas, decretada pelos liberais em 1834, que terminou definitivamente com a função religiosa do convento. O Carmo, que desde 1801 servia de comando à primeira Guarda da polícia, a partir de 1845, passou a funcionar exclusivamente como quartel e Comando-geral das Guardas em Portugal. Aqui continua a funcionar o Comando-geral da GNR. O Quartel do Carmo foi o último bastião da monarquia em Portugal que caiu a 5 de outubro de 1910. Na I República aqui terminaram diversas revoltas e revoluções. No dia 25 de abril de 1974 foi palco da «Revolução dos Cravos» que pôs fim ao regime autoritário de 48 anos em Portugal, dando lugar à liberdade e à democracia.

dia 10 de maio

Outro evento, previsto para o dia 10 de maio, é o “GNR TRAIL – Famílias Contra a Violência”. Encontra-se divulgado no FaceBook da GNR, com as seguinte informações:

O Destacamento Territorial de Mafra da GNR promove no o “GNR TRAIL – Famílias Contra a Violência”. Esta iniciativa pretende fomentar a prática desportiva e apelar às questões sociais, como cidadania e solidariedade. O fim último é a recolha de bens alimentares de primeira necessidade para ajudar famílias carenciadas, vítimas de violência e de exclusão social.

Para participar basta aceder à página do Facebook GNR Trail, (disponível em: www.facebook.com/GNRTrail), sendo esta prova composta por um de ‘trail’ com 17 quilómetros ou uma caminhada de seis quilómetros. As inscrições são GRATUITAS, mediante a entrega de bens alimentares no dia da prova.

A Polícia de Segurança Pública (PSP) que, em Portugal, divide, com a GNR, as responsabilidades de proteção pública manifestou seu apreço ao 107° aniversário da Guarda Nacional Republicana, postando, no FaceBook da Instituição Policial, a seguinte mensagem:

107º Aniversário da Guarda Nacional Republicana

Com as informações da GNR e PSP

0

One Comment

  1. João Bosco de Castro 04/05/2018 16:55 Responder

    Excelente notícia histórica… 107 anos como Guarda Nacional Republicana, mas, de fato, 635 anos de Força Policial, pois criada e instalada por Dom João I, o Rei Cavaleiro e Mestre de Avis, em 1383, como Corpo de Quadrilheiros, passou a Guarda Real de Polícia, em 1761, sob o Marquês de Pombal, à ordem de Dom José III, e com o fim da Monarquia r prisão de Dom Manuel II, em 1911, rotulou-se como Guarda Nacional Republicana: a notável Polícia Militar Portuguesa, autêntica e legítima Força Pública Lusitana.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*