Seguir a difícil carreira do pai herói na proteção de pessoas

A despeito das inúmeras controvérsias sobre os ataques do “11 de setembro de 2001”, esta não foi uma data desejada por Jillian Suarez — filha do policial Ramon Suarez, do Departamento de Polícia de Nova Iorque (NYPD) — que decidiu seguir a difícil carreira do pai herói na proteção de pessoas.

Antes do acontecimento, Ms. Suares, como tem sido chamada, era uma garotinha de 9 anos e, ainda lembra, com muito carinho:

Eu cresci vendo constantemente meu pai entrando e saindo de casa com seu uniforme e eu sempre o admirei por isso … ele realmente amava o seu trabalho.

Talvez, por isso, Jillian Suarez decidiu seguir a difícil carreira do pai herói na proteção de pessoas. O seu pai — Ramon Suares — serviu durante 16 anos, no NYPD, e foi visto pela última vez, segundo os registros oficiais, juntamente com outro companheiro, resgatando uma mulher que não podia andar. Encontravam-se no World Trade Center, na Torre Norte, quando esta desmoronou.

Posteriormente, Ramon foi premiado, postumamente, com a Medalha de Honra do NYPD. Mas, para Jillian Suarez, que decidiu seguir a difícil carreira do pai herói na proteção de pessoas, foi muito difícil aceitar a morte trágica do pai. À WPIX — “uma emissora de televisão americana com sede em Nova Iorque, NY” — Ms. Suares disse que, durante 10 anos, era mais fácil afirmar que o pai morrera de ataque cardíaco. Tanto que desabafou:

Não é fácil passar constantemente pelos memoriais e saber e ouvir o nome do seu pai na listagem de todos os que faleceram.

Seguir a difícil carreira do pai herói na proteção de pessoas

Com o tempo, Jillian suarez decidiu estudar Ciências Forenses, fornando-se na St. John’s University. Posteriormente ingressou no NYPD, e, segundo um comunicado daquele Departamento Policial, na última quinta-feira (26) prestou juramento, com mais 270 recrutas, para iniciar o programa de treinamentos de seis meses.

Inspirada, de certa forma, na carreira policial do pai, naquela força de segurança pública; esperando levar adiante, com orgulho e propósito, o legado herdado, Jillian Suarez decidiu seguir a difícil carreira do pai herói na proteção de pessoas.

Com as informações do PoliceOne e NYPD

0

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*