Policiais militares paraibanos realizaram o Curso de Especialista em Aeronaves Remotamente Pilotadas

 

A utilização de Aeronave Remotamente Pilotada (ARP) torna-se, pouco a pouco, uma realidade no cotidiano dos profissionais de polícia ostensiva e preservação da ordem pública. Trata-se de uma tecnologia de segurança pública, reconhecida pela legislação aeronáutica brasileira, já informada em post deste Pontopm.

Acresce-se, ao rol de informações sobre o tema, mais uma notícia inserida num post publicado no portal da Polícia Militar do Estado da Paraíba (PMPB), destacando-se dois aspectos significativos: a especialização técnica e a suplementação operacional nas atividades policiais militares.

Especialização técnica na atividade policial militar

A especialização técnica, sobre a utilização de ARP, aconteceu, segundo o post citado, com a realização do “Curso de Especialista em Aeronaves Remotamente Pilotadas (Cerpa) para utilização de drones […] no Centro de Educação, em João Pessoa”, no período de 20 a 24 de novembro. As atividades previstas para o curso foram desenvolvidas durante cinco dias, seguindo-se o “objetivo capacitar o policial para atuar com as aeronaves não tripuladas em operações policiais, levantamento de informações, busca e apreensão de suspeitos em áreas de difícil acesso, e crimes ambientais.” Na oportunidade, os policiais militares paraibanos desenvolveram atividades teóricas e práticas nas “disciplinas de pilotagem, legislação, operação e planejamento, manutenção e montagem de drone”. Desse modo, esses profissionais atuarão como multiplicadores, pois, “poderão treinar e formar outras turmas, para atuação em toda a Polícia Militar no estado”, esclareceu o “o capitão Luiz Carlos Pantaleão, coordenador de Tecnologia da PM”.

Suplementação operacional na atividade policial militar

No post publicado, foi noticiado também “Há dois anos, a PM utiliza aeronaves não tripuladas como os drones e, com o curso, os policiais [militares] formados poderão colaborar na padronização de procedimentos e doutrinas de operações aéreas.”

Ressaltou, também que:

De janeiro a setembro deste ano, a Polícia Militar utilizou drones 60 vezes em operações policiais, planejamento e instruções, auxiliando na prisão e busca de suspeitos. Em uma dessas ocorrências, registradas em agosto, um drone da PM visualizou quando um suspeito de tráfico tentou fugir pelo telhado das casas, durante operação. A PM deteve o suspeito e apreendeu crack, maconha e cocaína.

 

Fonte: PMPB

0

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*