245 mandados judiciais foram cumpridos, de janeiro a setembro deste ano, com o apoio dos policiais militares espirito-santenses, em Cariacica-ES

 

O compromisso dos profissionais espirito-santenses na execução da polícia ostensiva e preservação da ordem pública tem sido demonstrado pelos policiais militares do 7º Batalhão da Polícia Militar do Espírito Santo, segundo o relato de uma postagem no portal da Instituição Militar Estadual.

Há informações de que, neste ano, de janeiro a setembro deste ano, os policiais militares participaram da execução de 245 mandados judiciais.

Leia mais informações no post publicado, no portal da PMES, e transcrito em seguida:

O 7º batalhão da Polícia Militar realizou diversas ações relacionadas ao cumprimento de mandados judiciais no município, entre janeiro a setembro de 2017. Os mandados foram cumpridos em desfavor de criminosos envolvidos com o tráfico de drogas, com a prática de crimes contra o patrimônio e contra a vida, dentre outros. Apenas no mês de setembro, 64 criminosos foram detidos em virtude de possuírem contra si mandados de prisão, dos quais 14 em virtude do crime de homicídio.

Uma das ações de destaque foi a que resultou na captura de um dos 10 criminosos mais procurados do Estado. A.M.S., 35 anos, chefe do tráfico na região de Flexal e adjacências. A prisão ocorreu no dia 05 de setembro, no bairro Flexal II. Em desfavor do detido, havia dois mandados de prisão pelo crime de roubo. Também em setembro, T.A.S., 20 anos, foi detido no bairro Santa Rosa com mandado de prisão em seu desfavor pelos crimes de homicídio e associação para o tráfico de drogas.

De acordo com o comandante do 7º Batalhão, tenente-coronel Jair Gomes de Freitas, o desempenho da Unidade Operacional relacionado ao cumprimento de mandados judiciais é resultado de um trabalho permanente de planejamento e execução nas ações de preservação e manutenção da ordem pública no município. O oficial ressaltou ainda que as comunidades devem continuar auxiliando os trabalhos da Polícia Militar, por meio de denúncias pelo 190 e 181, o Disque Denúncia.

 

Fonte: PMES.

0

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*