Capacidade da polícia ostensiva catarinense será ampliada nas ruas com o suporte da tecnologia do “Bem-te-vi”

 

No portal da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) há notícia informando que o “Programa Bem-te-vi já é realidade em 115 cidades de Santa Catarina”. É mais uma conquista para a melhoria dos serviços prestados pelos profissionais catarinenses de polícia ostensiva e preservação da ordem pública.

Admitida a tese de que “as unidades policiais precisam ser mais vigilantes, ágeis e habilidosas“, compreende-se que o “Bem-te-vi” contribuirá significativa para a vigilância dos espaços públicos, favorecendo a antecipação e inibição à prática de delitos.

Leia mais informações, na notícia publicada, no portal da PMSC, e trasncrita a seguir:

O programa Bem-te-vi de videomonitoramento urbano, projeto elaborado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), já está presente em 115 cidades catarinenses, com a instalação de 2.432 câmeras em funcionamento. O projeto, que começou em 2012, já investiu mais de R$ 14 milhões na compra de equipamentos e colocação dos pontos. Para este ano, outras 20 cidades vão aderir ao programa. A iniciativa começou em 2010, em 12 cidades, com 369 câmeras.

Para o secretário César Augusto Grubba, o projeto é importante, mas não é a solução milagrosa para os problemas de segurança. Segundo ele, trata-se de uma ferramenta de apoio ao trabalho policial, potencializando as ações de vigilância. “O sistema funciona como uma importante ferramenta de apoio ao policiamento, que agrega tecnologia e modernidade”, destaca. Uma das novidades do sistema é que ele permite um trabalho com foco na investigação policial, uma vez que as imagens monitoradas são compartilhadas com as delegacias de polícia.

Grubba também enfatiza as parcerias com as prefeituras municipais, através de contrapartidas financeiras e integração de esforços. “Santa Catarina segue uma tendência mundial. Estamos investindo forte também para um redimensionamento da infraestrutura com a utilização de redes multimídia, em fibra óptica e câmeras de alta definição, e tudo a um menor custo operacional”, afirma o secretário da SSP.

Fonte: PMSC.

0

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*