300 quilos de pescado foram apreendidos e 10 suspeitos conduzidos à Central de Flagrantes de pelos policiais militares mato-grossenses

Os profissionais mato-grossenses de polícia ostensiva e preservação da ordem pública, da Polícia Militar do Estado do Mato Grosso (PMMT), apreenderam 300 quilos de pescado com 10 suspeitos de praticarem pesca ilegal “na região de Apiacás“, naquele Estado.

Constatada a irregularidade da pesca ilegal, após as vistorias e fiscalizações previstas para os policiais militares, o pescado apreendido e os suspeitos foram conduzidos à Central de Flagrantes.

Leia mais informações, na notícia publicada, no portal da PMMT, e transcrita a seguir:

O Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental (BPMPA) apreendeu, neste domingo (23.07), em Cuiabá, cerca de 300 quilos de pescado, fruto de pesca amadora praticada na região de Apiacás (770 km de Cuiabá). Na ocasião, 10 suspeitos, três veículos e três embarcações foram encaminhados para a Central de Flagrantes.

A Agência Local de Inteligência (ALI) informou aos policiais que três veículos com placas do estado de São Paulo estariam com pescado. Uma guarnição foi enviada para averiguar a procedência das informações.

Os três veículos foram abordados próximo ao viaduto da rodoviária, na Capital. Os policiais constataram que havia uma quantidade de pescado e um dos homens estava com a carteira de pescador amador inválida.

Os peixes foram encaminhados à Delegacia de Meio Ambiente (Dema), no bairro Carumbé, onde ficou esclarecido que a quantidade não condizia com a cota autorizada, que seria de 5 kg mais um exemplar de qualquer medida.

Os suspeitos foram encaminhados à Central de Flagrantes, para registro da ocorrência.

Serviço

A Polícia Militar (PM-MT) informa que denúncias podem ser feitas por meio do número 190, e também pelos números funcionais do Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental: (65) 3684-4244 / 1633 ou 9987-4024.

Fonte: PMMT.

0

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*