No Pará, “o caboclo Epaminondas Gustavo” orienta policiais militares, professores e escolares

O “caboclo Epaminondas Gustavo” é um personagem utilizado pelo Juiz de Direito Cláudio Rendeiro para repassar informações complexas de uma forma mais simples e acessível a todos.

A participação do magistrado marcou presença no Curso de Policiamento Comunitário Escolar.

Realizado pelo Comando da Companhia Independente de Polícia Escolar (Cipoe), da Polícia Militar do Estado do Pará (PMPA), o curso conta com a participação de profissionais de #políciaostensivaepreservaçãodaordempública que desenvolvem as atividades de polícia ostensiva escolar, de professores e escolares.

O desafio proposto no curso é a discussão da temática complexa que envolve a proteção da comunidade escolar devida pelo Estado Democrático de Direito e quais são os papéis de cada um dos atores.

Leia outros detalhes publicados, nos portais referenciados abaixo, segundo a a notícia transcrita a seguir:

Quarenta policiais militares participaram, nesta segunda-fera (5), da aula inaugural do Curso de Policiamento Comunitário Escolar, realizado pela Companhia Independente de Polícia Escolar (Cipoe). O anfiteatro da Escola Tecnológica Anísio Teixeira, no bairro do Umarizal, foi o local escolhido para receber a primeira aula.

O curso, que é voltado para Policiais Militares, representantes das escolas e dos estudantes, tem como principal objetivo, promover a cooperação entre polícia e sociedade, através da divisão de papéis, definição de metas e conjuntos para que todos os atores se entendam e caminhem juntos para combater as ocorrências nas escolas.

De acordo com o Major Jorge Luiz Aragão, o curso surgiu através de um anseio detectado no Plano de Gestão da PM. “Temos uma necessidade de especialização, definição de procedimentos e metodologias para trabalhar com esse público tão específico e saber como lidar com as problemáticas mais comuns nesses casos, que são as drogas (consumo e tráfico) e o confronto entre alunos de escolas diferentes. Isso a ronda sozinha e a presença de policiais não são capazes de dissuadir”, explicou o militar.

A iniciativa, que é uma novidade no Estado, ocorre em outras capitais do país, mas o curso realizado no Pará tem uma especificidade. “Nosso curso é voltado para três processos da Cipoe: ronda escolar, atendimentos emergenciais e a inclusão da construção dos planos de segurança que complementam a metodologia de ações nas escolas, essa é a novidade. Juntos vamos definir o plano de segurança de cada unidade de ensino, de acordo com suas especificidades”, comemorou o Major Aragão.

Participação especial – Durante a aula inaugural, o juiz Cláudio Rendeiro, da 1ª Vara de Execuções Penais de Belém, palestrou sobre Direitos Humanos e a importância do papel dos policiais perante a sociedade. “Esse curso é de suma importância, pois vem para aperfeiçoar a polícia comunitária junto as escolas, por isso a PM do Pará está de parabéns. É preciso que os policias entendam a importância deles e o que representam, além de que eles precisam contribuir para a mudança de paradigmas, como por exemplo, policiais serem sinônimo de truculência, além de compreender o que de fato são os Direitos Humanos. Dessa forma tenho certeza que serão policiais melhores e o curso será fundamental para o aperfeiçoamento da companhia”, detalhou.

Após a palestra, o juiz mudou de roupa para incorporar seu personagem, que já se tornou famoso no Pará e fora dele, o caboclo Epaminondas Gustavo. Com uma linguagem regional, acessível e uma pitada de humor, o juiz consegue tratar temas normalmente ásperos, de uma maneira simples e com fácil assimilação por todas as pessoas. Com isso, ele consegue arrancar risos e aplausos por onde passa.

Fonte: PMPA e Agência do Pará.

0

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*