“NOTA DE REPÚDIO DA POLÍCIA MILITAR À REDE GLOBO DE TELEVISÃO” ‘

A Polícia Militar do Estado de São Paulo repudia, com total indignação, a cena veiculada na novela “Malhação”, levada ao ar no dia 30 de maio de 2017, na qual dois jovens personagens foram abordados por um policial militar, com figurino semelhante ao utilizado pela PM paulista, que os tratou de forma discriminatória e racista. Ao contrário da cena reportada, a Polícia Militar segue fielmente os princípios constitucionais e basilares do respeito aos Direitos Humanos, pautada na filosofia de Polícia Comunitária e com ênfase na Gestão pela Qualidade, com intuito de bem servir a sociedade e de atender a seus múltiplos anseios, com o compromisso de defender a vida, a integridade física e a dignidade das pessoas.\nA cena generalizou toda uma Instituição, formada por pessoas dignas, mães e pais de família, que trabalham em São Paulo, diariamente chamados e reconhecidos pela nobreza das ações que realizam, desde o atendimento de ocorrências criminais até os atendimentos emergenciais e sociais, dos mais simples aos mais complexos. Policiais Militares que protegem anonimamente a sociedade. Os feitos positivos da Polícia Militar paulista e as ações destemidas de seus integrantes, são evidentes e sobrepõem-se, inquestionavelmente, aos desvios de conduta que são pontuais. Cenas lamentáveis como induzir o telespectador a criar uma concepção falsa de sua polícia distorcem a realidade de sua essência de conciliação e abnegação. Diante disso, e em respeito ao Policial Militar e a toda sociedade paulista, reforço: Confiem em sua Polícia! Não deixem que maculem a imagem daqueles que doam a vida pelo cidadão! Polícia Militar, você pode confiar!

Coronel PM NIVALDO CESAR RESTIVO

Comandante-Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo

A “nota de repúdio” destacada no portal da Polícia Militar do Estado de São Paulo resulta de um posicionamento contrário à postura de um programa que poderia ser mais educativo e menos revanchista.

Descompromissado com a normalidade das convivências próprias das comunidades democráticas existentes ao redor do mundo, a despeito de conhecê-las, insistem na propositura de que a verdade deles é a única que deve prevalecer.

“Tudo muda o tempo todo” apenas para eles, suas tribos… Para os outros, nada muda, tudo “do que foi será”. Nada passa! Nada sempre passará!

Este parece ser um posicionamento próprio dos caudilhos, déspotas, corruptos, demagogos, demófobos, apologistas do mau e impositores de meias verdades!

É uma pena!

Fonte: PMESP.

0

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*