Antropologia #Geografia #História #Linguagem, Sinais e Tecnologias

Lusofonia em destaque

 

A wikipedia destaca que Lusofonia [1] [2] 

é a comunidade formada por todos os povos e as nações que compartilham a língua cultura portuguesas como AngolaBrasilCabo VerdeGalizaGuiné-BissauMacauMoçambiquePortugalSão Tomé e PríncipeTimor-LesteGoa, Damão e Diu e por diversas pessoas e comunidades em todo o mundo. O Dia da Lusofonia é comemorado em 5 de maio, dia esse dedicado à língua, cultura e expressão portuguesa.

Na tabela seguinte, há informações sobre os povos e lugares lusófonos:

País População (est. 2014)[3] IDH (2013)
Brasil Brasil 202.656.788 0,744 (elevado)
Moçambique Moçambique 24.692.144 0,393 (baixo)
Angola Angola 24.300.000 0,526 (baixo)
Portugal Portugal 10.813.834 0,822 (muito elevado)
Guiné-Bissau Guiné-Bissau 1.693.398 0,396 (baixo)
Timor-Leste Timor-Leste 1.201.542 0,620 (médio)
Macau Macau 587.914 0,868 (muito elevado)
Cabo Verde Cabo Verde 538.535 0,636 (médio)
São Tomé e Príncipe São Tomé e Príncipe 190.428 0,558 (médio)
Total 267.396.837 S/D

Nota: Alguns linguistas argumentam que o galego, falado na Galiza, é na verdade apenas um dialeto do português; o que naturalmente também tornaria o noroeste da Espanha uma parte do mundo lusófono.

 

Você pode ver também: Lista de países onde o português é língua oficial.

 

Fonte: textos (wikipedia) e foto destaque (contramare.net).

0

Atualização Geral

Policiais militares gaúchos realizaram vistorias “na Cadeia Pública de Porto Alegre”

Segundo a notícia do portal da Brigada Militar do Rio Grande do Sul (BMRS), foi realizada mais uma vistoria na Cadeia Pública de Porto Alegre, a exemplo do que acontece todas quintas-feiras.

As fotos e a descrição da notícia indicam que, na vistoria dessa última quinta-feira, foram “apreendidos 73 aparelhos celulares, 300 pedras de crack, 80g de maconha, uma planta de maconha, 20 estoques e diversos chips e cartões de celular.

Leia mais informações na notícia publicada e transcrita a seguir:

A Brigada Militar deflagrou uma das maiores operações, dos últimos anos, na Cadeia Publica de Porto Alegre (CPPA), nesta sexta-feira (14), quando foram apreendidos 73 aparelhos celulares, 300 pedras de crack, 80g de maconha, uma planta de maconha, 20 estoques e diversos chips e cartões de celular. A ação ocorreu depois de um desentendimento entre grupos rivais. O diretor da cadeia, tenente-coronel Marcelo Gayer, destacou que a situação criada pela rivalidade entre os detentos foi prontamente resolvida.

Atualmente, a Cadeia Pública conta com 4,8 mil presos, dos quais 2 mil trabalham, estudam ou participam de programas de controle de drogas. Todas as quintas-feiras são realizadas revistas, com o objetivo de localizar e retirar materiais ilícitos do interior do presídio. De acordo com o diretor da CPPA, nesta sexta-feira, após o desentendimento, o trabalho foi ampliado. Além dos 300 integrantes da força-tarefa, a ação contou com o apoio de cerca de 100 homens do Batalhão de Operações Especiais (BOE).

Conforme o diretor do Cadeia Pública, as visitas estão mantidas durante o fim de semana. O oficial lembrou, ainda, que na conduta da BM com os detentos prevalece o diálogo e o respeito. “O principal objetivo da ação foi de acalmar os ânimos e mostrar que os maiores prejudicados serão os próprios detentos em caso de novos incidentes, o que poderia acarretar inclusive a suspensão das visitas”, alertou.

O governo do Estado aumentou o orçamento da Segurança Pública em 2017. O orçamento que está sendo executado neste ano é 19% maior que em 2016.

0

Educação Profissional

Policiais militares sergipanos praticam lições de armamento e tiro, na Academia de Polícia Civil.

Os futuros profissionais de #políciaostensivaepreservaçãodaordempública praticam lições aprendidas sobre armamento e tiro.

São alunos do Curso de Formação de Soldados, da Polícia Militar do Estado de Sergipe (PMSE), que, em breve, estarão nas ruas dos municípios onde vivem os cidadãos e se encontram as comunidades sergipanas.

Registrando o comprometimento com a educação profissional e o aperfeiçoamento profissional, o comando da PMSE publicou, no portal da instituição, a seguinte nota:

Na manhã desta quarta-feira, 10, um pelotão com 32 alunos do Curso de Formação de soldados da Polícia Militar participou de instrução em armamento e tiro prático na Academia de Polícia Civil (Acadepol), situada na Avenida Tancredo Neves, em Aracaju.

O curso visa capacitar os alunos de soldado, aprovados em concurso, para agir em prol da segurança pública no estado e é uma das etapas para a formação desses novos policiais militares. No total, serão contabilizadas 80 horas aula que buscam orientar e desenvolver técnicas adequadas para o combate à criminalidade em vias urbanas e rurais, sendo elas divididas entre teóricas e práticas, sob supervisão de oficiais e praças com ampla experiência na formação da tropa.

Segundo o agente de polícia civil Geverson Ferreira, o curso tem primordial importância para que os novos policiais tenham domínio das técnicas necessárias para realizar as atividades em todo o território sergipano. “Esses soldados em formação saem daqui muito bem orientados e preparados para agir em quaisquer que sejam as situações”, explana.

Os alunos que hoje treinaram com revólveres de calibre 38, também receberão treinamentos com pistolas de calibre .40 bem como de espingarda calibre 12, todas elas de dotação da Secretaria de Segurança Pública de Sergipe.

O capitão Thiago Costa, um dos instrutores dos futuros militares, declarou que o momento da formação é primordial para a total preparação e confiança dos alunos ao manusear o equipamento, pois “os militares em formação precisam saber lidar com vários tipos de armamento e situações. Aqui é o lugar do erro, de aprender e sair formado policial”.

Sobre o curso, o diretor da Acadepol, delegado João Batista, afirmou que essa iniciativa é o resultado da integração entre as polícias civil e militar. “Essa integração só traz bons frutos para a população sergipana, bem como aumenta a visibilidade e convida os policiais a conhecerem a Academia de polícia”, destaca.

O curso de armamento, munição e tiro com esse pelotão segue até o dia 16 e de Maio, mas a parceria se estenderá até o mês de Julho, quando aproximadamente 260 policiais militares em curso deverão ter passado pelas instalações do estande de tiro da Acadepol.

Fonte: PMSE.

0

Bom exemplo

Polícia Militar de Santa Catarina divulga “a história da imagem que ilustra a campanha” dos 182 Anos da Corporação.

Os profissionais de polícia ostensiva da preservação da ordem pública da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) sentem-se orgulhosos, pois são membros de uma das melhores Instituições Militares Estaduais (IME) brasileiras.

Aquela IME, há quase 182 anos, amealha uma história digna de admiração, escrita por valiosas mulheres e homens que se dispuseram dedicar parte de suas vidas ao serviço de proteção das pessoas e suas comunidades.

Nesse sentido, ao divulgar “a história da imagem que ilustra a campanha” dos 182 Anos da Corporação, a PMSC registra mais uma página sobre grandes feitos de seus policiais militares.

Leia na íntegra o texto publicado no portal da PMSC:

Atenta aos novos conceitos e às novas ferramentas de comunicação, a campanha PMSC 182 Anos, desenvolvida pelo Centro de Comunicação Social (CCS) da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), destaca valores e princípios intrínsecos à sociedade na qual está inserida. Mulheres, etnias, arte, cultura, valorização das pessoas, inovação e integração, foram os aspectos que influenciaram o insight criativo.

A escolha do rosto feminino coloca a mulher como protagonista de uma instituição plural, formada por pessoas com diversidade cultural e com visões de mundo e saberes diferentes, porém, conectada e com uma linguagem multidirecional. Uma instituição composta por pessoas de bem, que buscam o bem das pessoas. Pessoas distintas, em sua grande maioria, mas todas focadas em um único ideal: a garantia do bem comum.

Conheça um pouco mais sobre quem foram as pessoas envolvidas na elaboração da imagem principal, que dá vida à campanha. Parece uma foto, mas não é. A representação final é resultado da contribuição de três policiais, que colaboraram com a produção artística que é a imagem central do aniversário deste ano.

A face que ilustra a campanha é da 2º sargento Luciana Pereira da Silva Cruz, que já está na reserva remunerada há três anos. Seu rosto foi desenhado à mão pelo major Miguel Angelo da Silveira, que levou três meses para concluir a ilustração realista. Por fim, o desenho foi finalizado pelo soldado Jeferson Hinckel, do CCS, que se valeu de recursos gráficos para compor a imagem final.

A equipe de reportagem do CCS conversou com cada um desses policiais envolvidos na elaboração da imagem. Confira abaixo quem são essas pessoas e entenda o mote da campanha.

“Fiquei imensamente feliz. Na verdade surpresa. Falo isso porque quando passamos para a reserva remunerada não esperamos mais ser lembrados por muita gente”, comentou a 2ª sargento Luciana Pereira da Silva Cruz, de 46 anos, que serviu à PMSC por 27 anos. “É uma satisfação e ao mesmo tempo muita responsabilidade. A responsabilidade é que me assusta um pouco. Digo isso porque com esse destaque acabo vestindo mais uma vez a farda da PMSC. E, com isso, visto também a farda de todas as outras policiais femininas”, considerou. “Acabo também representando todas as mulheres contemporâneas, que buscam diariamente seu valor na sociedade. Mulheres que fizeram e fazem coisas magníficas dentro e fora da instituição”, completou.

Na conversa, a policial lembrou com saudosismo dos momentos em que esteve na ativa. “Essa foto foi tirada em comemoração aos 30 anos da Polícia Militar Feminina”, pontuou a sargento, ao falar da foto original, que serviu como referência para a confecção da ilustração. “Cada ano que passa as mulheres vem ganhando mais espaço na PM. E, assim, ajudamos a desmistificar muitas coisas”, diz. “Ampliamos muitas perspectivas e contribuímos, com isso, para que a corporação assuma cada vez mais essa multiplicidade de facetas, que a campanha propõe”, avalia.

Na ativa, a policial além de atuar nas ruas, também compôs o grupo pioneiro de “Teatro de Fantoche”, que atuava nas escolas antes da existência do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), que foi fundado em 1998. No final de 1999 ela também passou a integrar o Proerd, onde permaneceu até 2006. “Lá eu tive a grata satisfação de exercer diversas atividades pedagógicas, que sempre me encantaram”, lembra.

Logo em seguida, a policial foi atuar no Programa de Prevenção dos Jogos Pan-Americanos, no Rio de Janeiro. Quando voltou de lá, trabalhou como monitora no Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires (CFNP), em Florianópolis, e encerrou sua carreira como diretora da creche Vida e Movimento.
“Sinto muita saudade da PM. Foi meu primeiro e único emprego. Tudo que conquistei até hoje foi graças a minha carreira na corporação”, recorda. “A decisão de ir para a reserva remunerada foi muito difícil. Na verdade, eu poderia estar trabalhando até hoje, mas tive de ir embora porque minha mãe é muito idosa e precisava da minha ajuda”, explicou.

Ao conversar com o major Miguel Angelo Silveira, subdiretor do CFNP, que já desenha há 35 anos, ele explicou como compõe seus retratos. O oficial, que desenhou a mão a ilustração da sargento Luciana, garante que nunca fez curso de desenho. Ele levou sete semanas para concluir o trabalho.

Autodidata, o policial destaca que busca continuamente o aperfeiçoamento em seus traços. “Ao todo, já reproduzi uns trinta rostos. Me baseio no estilo realista, uso apenas lápis crayon sob papel”, explicou. “Quando estou desenhando busco retratar os mínimos detalhes da imagem original”, completou. “Fico muito lisonjeado com a oportunidade de ter contribuído, de alguma forma, com a composição final. Agradeço também a oportunidade de apresentar minha arte, e saber que a PM vem estimulando a cultura em suas manifestações institucionais, até porque existem muitos outros artistas na corporação”, agradeceu.

O outro policial envolvido na criação é o soldado Jeferson Hinckel, do CCS, que fez a sobreposição de cores e tratamento da ilustração produzida pelo major Miguel Angelo. O policial levou uma semana dando vida a ilustração. A composição artística é baseada no conceito do “muralista” Eduardo Kobra, que ganhou notoriedade internacional transformando pichações em arte.

Hinckel é formado em Comunicação Social, com habilitação em Publicidade e Propaganda, e trabalha desde 2005 com produção de imagens em agências de publicidade. Em 2011 ele ingressou na PMSC. “Aos poucos vamos incorporando um visual mais moderno à corporação. No entanto, deve ser um processo sutil, para não assustar. As cores do tema representam, de forma subliminar, as diversas facetas que o policial deve assumir diante às necessidades da sociedade”, considerou. “Quando se mescla a imagem de uma profissional fardada, com todas as cores da proposta realista de Eduardo Kobra, podemos visualizar com mais clareza o cerne da ideia. Abstratamente apresentamos toda a proposta inovadora, implícita na multiplicidade da composição final”, avaliou, fazendo uma analogia do layout frente aos desafios institucionais.

Inspiração criativa

A influência criativa da campanha vem da obra de Eduardo Kobra, “muralista” brasileiro. O artista, além de pintar, também adere, interfere e sobrepõe cenas e cores à personagens. O resultado final de suas obras são murais tridimensionais que permitem ao público interagir com a obra.

Fonte: PMSC.

0

Atuação integrada de proteção

“Operação Tiradentes”, no Estado da Paraíba, contará com um reforço de mais de 3 mil policiais militares!

Os profissionais de polícia ostensiva e preservação da ordem pública da Polícia Militar do Estado da Paraíba (PMPB) participarão da “Operação Tiradentes”, segundo a orientação do “Conselho Nacional de Comandantes-Gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil – CNCG-PM/CBM”.

As informações relevantes sobre as ações de polícia ostensiva foram assim destacadas, no portal da PMPB:

As Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares de todo o país deflagram, na tarde desta quinta-feira (20), a Operação Tiradentes, com várias ações sendo realizadas até o sábado (22). Na Paraíba, a operação conta com 3.229 policiais, 666 viaturas, drones e a ação do helicóptero Acauã.

O objetivo é cumprir mandados de prisão, busca e apreensão, apreender armas, drogas e veículos com queixas de roubos ou furtos, em ações planejadas a nível nacional, coordenadas pelo Conselho Nacional de Comandantes-Gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil – CNCG-PM/CBM. Na Paraíba, a operação será coordenada pelo próprio comandante geral da PM, coronel Euller Chaves, que é o atual 2º vice-presidente do Conselho Nacional.

A saída do efetivo será feita às 17h, na frente da sede do Comando Geral, em João Pessoa, com os comboios de viaturas seguindo para os locais indicados no planejamento operacional. O policiamento a pé será lançado três horas antes, nos espaços de maior movimentação de pessoas.

A operação – O nome da operação é uma homenagem ao patrono das polícias militares do Brasil. Tiradentes foi um dos líderes do primeiro movimento a reunir pessoas com a finalidade de criar a pátria brasileira: A Inconfidência Mineira. Do movimento, ele foi o único a ser morto, sendo reconhecido como o primeiro a ser sacrificado pelo ideal da independência do povo brasileiro. Ele era alferes, o que corresponde hoje ao posto de tenente, sendo um exemplo de luta a ser seguido tanto pela forma como buscou a soberania da pátria quanto pelo cumprimento do dever na segurança pública, já que esteve junto às estradas para perseguir e prender os bandidos que as infestavam.

Fonte: PMPB.

0

Ações bem-sucedidas de polícia ostensiva

Em Minas Gerais: houve redução nos crimes violentos (30% ) e no número de acidentes de trânsito (53% ).

A Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) divulgou no portal os resultados das ações policiais militares durante o último feriado prolongado, informando que:

Durante o feriado da Semana Santa de 2017, a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) realizou diversas atividades e ações nas rodovias estaduais e federais no Estado, que resultaram numa redução expressiva de cerca de 30% nos crimes violentos e 53% no número de acidentes de trânsito com vítimas fatais. As operações que garantiram a fluidez do trânsito e a segurança pública nas principais rodovias começaram na última quinta-feira (13) e foram encerradas no domingo (16).

De acordo com a Diretoria de Meio Ambiente e Trânsito (DMAT), policiais do Batalhão de Polícia Militar Rodoviária (BPMRv) realizaram 3.301 testes de etilômetro (bafômetro), fiscalizaram 42.792 veículos e prenderam 53 pessoas por embriaguez ao volante.

Houve uma redução de 53% dos acidentes com vítimas fatais, registrando 15 acidentes em 2016 e apenas 7, em 2017. Quanto ao número de vítimas, foram 285 feridas em 2016, e 181 em 2017, ou seja, uma redução de de 36,49%. O número de mortos no feriado também diminuiu: foram 17 em 2016 e 8 em 2017, performando assim uma queda de 52,94%.

Houve, também, uma redução de 27% nos acidentes sem vítimas fatais em 2017. Foram 108 em 2016, e 79 em 2017. Os acidentes com vítimas não fatais tiveram 33% de redução, com 148 em 2016 e 99 em 2017.

Foram apreendidas 49 armas de fogo nas rodovias e 592 pessoas inabilitadas foram autuadas.

INDICADORES – Sobre os indicadores: ocorrências registradas, crimes violentos, roubos consumados e vítimas fatais em acidentes de trânsito, a PMMG registrou redução ou estabilidade no feriado prolongado.

A PMMG obteve uma redução do total de ocorrências registradas em Minas Gerais durante o feriadão. Em 2016 foram 17.994 ocorrências, e em 2017, 15.227. Uma redução de 15,38%.

Do universo dessas ocorrências, foram registrados 1.459 crimes violentos em 2016, contra 1.075 registros em 2017, ou seja, uma redução de 26,32%. O número de roubos consumados puxou a redução dos crimes violentos, com 1.289 registros em 2016 e 934 em 2017.

Dentre os crimes violentos, o de estupro registrou uma queda de 30%, o que para a PMMG é extremamente importante, tendo em vista que existe uma Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica, composta prioritariamente por militares femininas, que tem contribuído para este resultado e para alcançar uma proteção efetiva para as mulheres.

O único indicador em que houve aumento em relação a 2016, foram os homicídios consumados no Estado, passando de 38 registros para 45 em 2017, resultando num aumento de pouco mais de 18%. Contudo, mesmo com esse aumento, houve uma redução expressiva de 45% dos homicídios na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), com destaque para o município de Contagem, com 70% de redução, e BH com aproximadamente 43%.

A PMMG realizou mais operações em 2017 no feriado de Semana Santa: em 2016, 12.932, em 2017 15.488, um aumento de aproximadamente 20%. Mais armas de fogo foram apreendidas: em 2016 foram 205, e em 2017 foram 237, um aumento de quase 16%.

Prisões e apreensões em MG foram maiores em 2017, com 3.349 (3.138 em 2016), um aumento em torno de 7%; 308 traficantes foram presos com entorpecentes (302 em 2016); 2.291 prisões foram efetuadas (2.141 em 2016), e 478 menores apreendidos (450 em 2016).

Fonte: PMMG.

0

Internacional

USA lidera os 68 países que pretendem destruir o Estado Islâmico!

A destruição do grupo jihadista e seu chefe constitui o objetivo bélico dos “68 países que combatem o grupo Estado Islâmico (EI) no Iraque e na Síria”, segundo ficou acertado na reunião, desta quarta-feira (22), em Washington. Os participantes do encontro, organizado pelo governo norte-americano, discutiram uma estratégia para destruir, numa guerra, aquela região, informou a RFI.

Na notícia foi destacado também que:

A coalizão internacional pilotada por Washington garantiu que vai erradicar a “ameaça planetária” que representa o EI. Em sua estreia como negociador, o novo chefe da diplomacia dos Estados Unidos, Rex Tillerson, denunciou uma “força mundial do mal” e prometeu eliminar rapidamente Abu Bakr al-Baghdadi, chefe do grupo extremista, da mesma forma que os Estados Unidos abateram Osama Ben Laden, em maio de 2011. “É apenas uma questão de tempo”, disse o representante de Washington.

Muitos participantes da reunião se questionavam sobre a posição norte-americana sobre a luta contra o jihadismo na Síria e no Iraque, já que o presidente Donald Trump foi eleito com um programa que prega cortes no orçamento da Defesa e nos recursos para a diplomacia. Mas Tillerson tentou tranquilizar os colegas e declarou que “vencer o EI é o objetivo número um dos Estados Unidos na região”.

O secretário de Estado norte-americano também disse que “os Estados Unidos vão intensificar a pressão contra o grupo Estado Islâmico e trabalhar para o estabelecimento de zonas temporárias de estabilidade, graças a um sistema de cessar-fogo, com o objetivo de permitir que os refugiados voltem para suas casas”.

São assinaladas algumas divergências entre países da coalizão, conforme se vê abaixo:

O Pentágono estima que o EI tenha perdido 65% dos territórios que tinha durante seu apogeu, em 2014. No entanto, a coalizão se mostra enfraquecida pelas divergências entre alguns países sobre a estratégia de continuar tanto em Raqqa como em Mossul.

Estados Unidos e Turquia não concordam sobre quais forças devem conduzir a ação final em Raqqa. Ancara não quer que as milícias curdas YPG, consideradas pelos turcos um grupo “terrorista”, participem. Entretanto, esses grupos são importantes na coalizão árabe-curda das Forças Democráticas Sírias, que o Pentágono considera serem as melhores para retomar Raqqa rapidamente.

Uma opção seria equipar as forças curdas com armas pesadas. Outra, mais aceita pela Turquia, seria enviar reforços americanos para apoiá-las. O Pentágono tem a intenção de enviar mil soldados suplementares para a Síria, duplicando a força de 850 militares americanos neste país devastado pela guerra desde março de 2011.

Fonte: RFI.

0

Boas práticas

PMs sul-mato-grossenses – Destaques de 2017.

Em Campo Grande, capital sul-mato-grossense, foram destacados os profissionais de polícia ostensiva e preservação de ordem pública que integram o Comando de Policiamento Metropolitano (CPM).

Na manhã dessa sexta-feira (17), no clube da Associação dos Oficiais da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, aquele CPM realizou “a primeira edição de 2017 da premiação e entrega de certificados aos policiais militares […] que se destacaram em suas funções nos meses de janeiro e fevereiro”.

Na solenidade realizada, estiveram presentes o coronel Valdecir Escalhar — Subcomandante da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul —, coronel Paulo Rogério de Carvalho Silva — Chefe do Estado Maior —, coronel André Luiz Saab — Diretor de Gestão da PMMS —, tenente-coronel Marcio Filgueiras de Moraes— Comandante do Policiamento Metropolitano —, tenente-coronel Renato Tolentino Alves — Comandante do 17º Batalhão de Polícia Militar de Trânsito — e Valério Azambuja — Secretário Municipal de Segurança Publica.

Na reportagem publicada no portal da PMMS, foi destacado que:

Durante a solenidade foram agraciados 41 policiais militares, que se destacaram nestes dois meses, além de elogios individuais ao major Claudemir de Melo Domingos, tenente PM Vinicyus Ribeiro Cabral, tenente PM Renato Bambil Imai, subtenente PM Juanezio da Guia Jesus, 2º sargento Marco Antônio Nascimento Moura, 2º sargento Bielei Vieira Carvalho, 3º sargento Polliane Magalhães Silva, cabo Luciene dos Santos Ferreira, soldado Laryssa dias Campos Matias de Melo, soldado Daniel Batistoti Gimenez, em reconhecimento ao empenho e dedicação para realização deste evento dos policiais militares destaque.

De acordo com o Comandante do CPM, coronel Marcio Filgueiras de Moraes, o uso da meritocracia para valorizar os policiais militares, serve de incentivo e leva a um número maior de abordagens, apreensões de armas e prisões de autores de crimes, consequentemente a diminuição nos delitos ocorridos.

Em sua fala a tropa, o Subcomandante da PMMS, coronel Escalhar, agradeceu aos policiais que estão na ponta da lança, na frente da instituição, trabalhando com honradez e sempre enaltecendo o nome da PMMS. Na ocasião lembrou que a premiação além de ser um reconhecimento, proporciona uma cidade mais segura, contribuindo para diminuição de índices criminais, proporcionando uma sensação de segurança aos campo-grandenses

.

0

Mortos e Feridos #Rio Grande do Norte

Sargento PM Potiguar tombado em serviço!

Os profissionais de polícia ostensiva e preservação da ordem pública riograndenses do norte estão contristados com a perda de mais um companheiro tombado durante o serviço.

A Polícia Militar do Rio Grande do Norte fez editar, no portal, a seguinte;

Nota de Pesar pelo falecimento do Sargento Irineu

É com pesar que a Polícia Militar comunica o falecimento do Sargento da PM Aldo Tavares Irineu.

O Sargento Irineu ingressou na corporação no ano de 1992 como Soldado, tendo sido promovido à graduação de Sargento Especialista no ano de 2001.

Irineu faleceu nesta terça-feira (14), durante um assalto no bairro de Lagoa Nova, em Natal.

A Polícia Militar lamenta a morte deste honrado guerreiro, compartilhando com amigos e familiares seu sentimento de pesar.

Fonte: PMRN.

0

Internacionais

Mélanie Ségard, 21 anos: apresentadora da previsão do tempo, na TV francesa!

Mélanie peut le faire – Bientôt je présente la météo !

Hier il neigait, aujourd'hui il fait beau et bientôt je présente la météo. Mélanie peut le faire #meteo #melaniepeutlefaire

Posted by Mélanie peut le faire on Dienstag, 7. März 2017

0

A RFI Brasil destacou, nesta terça-feira (14) “um conto de fadas que virou realidade”. Isso porque, “pela primeira vez na história do país, a previsão do tempo em um dos mais importantes canais da TV francesa — France 2 — será apresentada por uma jovem com Síndrome de Down. A experiência vai durar apenas uma noite, mas é uma grande conquista” de Mélanie Ségard.

Lei, na íntegra, a reportagem publicada:

Mélanie Ségard, de 21 anos, sempre sonhou em apresentar a previsão do tempo na televisão. Para provar que a Síndrome de Down não seria uma barreira e alertar sobre o preconceito, a federação Unapei — que reúne associações francesas de representação e defesa dos direitos das pessoas com deficiência mental e suas famílias — criou uma campanha intitulada “Mélanie peut le faire” (Mélanie é capaz, em tradução livre).

Uma página no Facebook, com um vídeo e fotos da jovem, foi criada para explicar o objetivo da campanha. A plataforma informava que se obtivesse 100 mil curtidas, Mélanie realizaria seu sonho, informa o sério Les Echos. O objetivo foi atingido em menos de uma semana, com mais de 200 mil curtidas, e a jovem apresenta na noite desta terça-feira (14) a previsão do tempo, uma semana antes do Dia Internacional da Síndrome de Down, comemorado em 21 de março.

Vários canais de TV franceses se candidataram para dar espaço à apresentadora de um dia, mas a federação Unapei preferiu concentrar a campanha no canal público France 2, explica o jornal econômico. Les Echos lembra que a anomalia no cromossomo 21 afeta 65 mil pessoas na França.

Estrela por um dia

Le Figaro dedica uma página inteira à jovem. O jornal relata que ela pedia apoio para apresentar a previsão do tempo no dia 27 de março, mas a data teve de ser antecipada diante do sucesso midíatico da campanha, explica o jornal conservador. Além da apresentação, a vida da jovem, que é embaixadora da Federação Francesa de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência Mental há algum tempo, também será tema de uma reportagem que será transmitida nesta terça-feira nos jornais do canal France 2.

O diário Aujourd’hui en France revela que, para se preparar para esta “previsão do tempo solar”, Mélanie ensaiou com a apresentadora oficial do canal. A partir de amanhã, ela retorna a sua vida normal, nota Aujourd’hui en France, o que significa tomar o ônibus sozinha para ir trabalhar em um instituto de Meudon, onde mora na região parisiense. O jornal revela que a jovem já tem um novo sonho: ser maquiadora de estrelas na TV.

Pessoas com deficiência não interessam candidato

Aujourd’hui en France aproveita o sucesso de Mélanie para questionar o programa dos candidatos à eleição presidencial francesa para pessoas com deficiência. Os 12 milhões de franceses, isto é, 12% da população que têm algum tipo de deficiência ou têm algum deficiente na família, também votam. “E se eles fossem enfim ouvidos?”, pergunta o diário.

Um coletivo foi criado para pedir aos candidatos respostas claras às reivindicações desse público, como escolaridade, acesso ao trabalho e renda. Os organizadores, celebridades francesas como o cantor Grand Corps Malade, portador de deficiência física, lamentam que o tema ocupe apenas um minuto e dez segundos dos comícios dos candidatos na atual campanha.

Fonte, vídeo e Foto: RFI.

0